quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Irene! Irene! Sirva o Leite-Creme



Caixa Geral de Despojos nas Quintas de Leitura do TCA. Claro que é a NÃO PERDER!!!!

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Chapitando

Cheguei ao Chapitô e virei uma chapitoa.
A vida dos chapitões é de árduo trabalho, o dia a dia é cheio de chapitisses, e os chapitões e as chapitoas lá vão chapitando por todo o Chapitô!
Chapitasse por ali, chapitasse por aqui e pelo meio de tanta chapitisse o melhor momento dos chapitões e das chapitoas é quando vão chapitar na Palmeira, lugar de eleiçao de todos os chapitões e chapitoas...
Na palmeira os chapitões e as chapitoas palmeiram entre eles e com os que uma vez também já foram chapitões!
Aliás qualquer dia se a Palmeira não se põe a pau os chapitões e as chapitoas transformam-na em chapitô...
E eu cansada como estou venhho para aqui dizer um monte de chapitisses...
Desculpem: foi um momento de chapitisse :-)

domingo, 12 de outubro de 2008

Desilusão

A minha colaboração com o Chapitô, foi curta... demasiadamente curta. No final deste mês, se resistir até lá, venho-me embora. Com muita mágoa, de não ter dado certo, e muito mesmo muito desapontada.
Entre outros factores, o Chapitô não cumpriu com as condições salariais que assumiu comigo e convenhamos que já não tenho paciência para mal entendidos deste tipo! É certo que se esse problema não existisse, provavelmente eu daria mais uns meses, não sei se muitos, para ver que rumo as coisas tomavam, mas assim não posso esperar.
Este projecto do Chapitô é realmente um projecto de luxo. Um projecto que agrega verdadeiramente várias vertentes que me interessariam estar envolvida, a educação, a formação, a acção social, a educação pela arte, a cultura, o espectáculo, enfim é uma estrutura que tem tudo para andar para a frente e infelizmente não anda... PAROU! Parou no tempo, parou na mentalidade, PAROU... e não permite que seja quem for a ponha andar. É a sensação que quem quer que seja que tenha ferramentas para lançar o projecto para a frente é de imediato boicotado. Não é uma boa sensação. É como se estivéssemos a lutar contra o próprio projecto em que estamos a trabalhar. NÃO POSSO MAIS!
Foram quase 5 meses de entrega total. De envolvimento e empenhamento. Há alguns resultados, não muitos que o tempo não foi suficiente, mas... NÃO POSSO MAIS!
Tenho mágoa de deixar a minha equipa... sinto-me um bocadinho a abandoná-los... mas que fazer ???
Eu tinha planeado se desse tudo certo voltar de armas e bagagens, com Jonas e crianças para Lisboa. Eu tinha, juntamente com o Jonas, planeado talvez mudarmos de casa, as escolas das crianças, tudo... mudarmos toda a nossa vida por causa de um projecto... portanto não foi mesmo por falta de entrega...
Há o incumprimento financeiro que para mim nesta altura da minha vida não só é importante como me faz perder a confiança na instituição. E depois há a metodologia, que eu não concordo e pelos vistos não tenho capacidade argumentativa para conseguir dar a volta e utilizar uma metodologia de trabalho e de relacionamento diferentes... quer dizer com a minha equipa até funcionou, até estava a começar a ver algumas transformações importantes... mas desculpem todos aqueles que ficaram decepcionados com esta notícia... mas tenho mesmo de pensar em mim!
Houve um lado fantástico neste período, as pessoas que reencontrei e as pessoas que conheci... Há pessoas que conheci neste processo qeu são verdadeiramente espantosas e que em muito me ajudaram e ajudam e que vão concerteza passar a fazer parte da minha vida futura. Isso foi o melhor!
E assim a encruzilhada desmancha-se... e lá tomo de novo um caminho. Espero que desta vez se transforme num grande e longo caminho.
Para já há alguns "namoros" para trabalhar nalguns projectos, mas tudo pontuais... Vamos ver se corre bem... e sinceramente espero que o meu anjo da guarda acorde e que seja cá para cima que vem o trabalho!
Os pontuais até é bom ser em Lisboa porque sempre vou matando umas saudades... mas quando vier alguma coisita mais definitiva, espero que brevemente, que seja aqui por cima!!!

Boas Noticías!

Excelente notícia... Terminei o curso com 16!
Claro que estou mesmo muito feliz... confesso que não estava nada satisfeita com este último trabalho.
Não foi o tema que eu queria, foi mesmo uma temática imposta o que é muito desagradável para um trabalho de fim de curso... e saiu-me a ferros...
Estava a torcer pelo 14 que era para a média não descer... e BINGO, lá veio um 16!!!

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Encruzilhadas

Lá estou mais uma vez numa encruzilhada!
Lá estou mais uma vez num momento de grandes decisões!
Lá estou mais uma vez a pensar mais nos outros que em mim!
Lá estou mais uma vez cansada, muito cansada de decidir!
Desta vez, tem mesmo de ser, desta vez vou pensar em mim!

Finalmente!

Foi dificil... muito mais dificil do que se pode imaginar... mas já está!
Ontem foi o grande dia!
O dia em que finalmente entreguei o trabalho final da minha licenciatura...
UFA!
Está feito!!!!

Quintas de Leituras sempre a marcar pontos!


domingo, 14 de setembro de 2008

"A Fúria da Malvina"



Este fim-de-semana o Chapitô recebeu teatro de fantoches! Foi a peça "A Fúria da Malvina" pela companhia Além da Lenda. É muito bom, divertido para miúdos e graúdos, uma história original de fadas e gnomos a lembrar os melhores contos tradicionais de príncipes e princesas.

Para a semana há mais. Se têm crianças e querem passar um bom bocado no Sábado dia 20 e Domingo 21 de Setembro é às 16H. E ainda há algumas surpresas para os mais pequeninos, não fosse o espectáculo no Chapitô!!!

1º Dia - 1º Ano

Faz amanhã uma semana que a Leonor iniciou uma nova etapa na sua vida. A primária... bolas, o tempo voa! A minha menina já está no 1º ano. Vamos lá ver se segue as pisadas da mana mais velha. Interesse ela tem, mas é mais despistada e irrequieta que a irmã.
A excitação do dia foi mais que muita. Pasta nova, livros, cadernos... enfim lá levou a parafenália escolar toda, muito orgulhosa e independente. A escola é a mesma, mas o piso é diferente, agora a Leonor tem de subir mais um piso para ir para a sua sala de aulas... e lá foi muito contente di seu novo estatuto de estudante... "mas agora é mesmo a sério".
A sala nova
Enquanto a Leonor gozava as suas novas aulas e o Sérgio no infantil, nós os grandes aproveitámos e fomos com as bikes até Vila do Conde pedalar um bocadinho... até parecia que estava de férias! Foi muito bom... e a zona maritima de Vila do Conde e da Póvoa de Varzim está a ficar muito simpática. Com jardins, com belíssimas praias e com as vias para os ciclistas. Fantástico!

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Quintas de Leitura Voltam de Férias

A volta de Gonçalo M. Tavares às Quintas de Leitura já no próximo dia 25. Claro que muito parcialmente digo. A NÃO PERDER!
Mais informações é só clicar aqui!

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

4000 Visitas



Apesar de todas as minhas ausências... lá passaram pelo meu bloguezito 4000 visitas!


Obrigada pelas visitas e pelos comentários.

E voltem sempre!

Transports Exceptionnels - CCB 31 de Agosto


Dueto para um bailarino e uma escavadora...

Fui ver hoje à entrada do CCB, 20 minutos muito originais que fizeram voltar os sonhos de miúda de conduzir máquinas!!! Gostei! Diverti-me e adorei ver a dança tratada de uma forma muito original sem perder a sua identidade. Adorei ver como aquela escavadora se transformou muito rapidamente em bailarina... a seguir o rasto desta companhia!


Transports Exceptionnels - pela Cie Beaugeste. Coreografia - Dominic Boivin

domingo, 31 de agosto de 2008

Novo Futuro no Bartô do Chapitô - 3 de Agosto 2008

É já na próxima terça feira dia 3 de Agosto que no Bartô do Chapitô no Evento "A Voz das ONG'S" a Novo Futuro vai falar sobre o seu trabalho junto das crianças. A partir das 22H00 entrada livre, sejam solidários, marquem presença!

" A Associação Novo futuro tem por objectivo criar e gerir pequenos Lares para Crianças e Jovens - privados de ambiente familiar ou retirados à família por ordem dos Tribunais - proporcionando às Crianças/Jovens acolhidas, sem distinção de sexo, raça, ou religião, o desenvolvimento humano a que têm direito, num ambiente familiar, com afecto, bem-estar e privacidade, para além de uma educação que lhes permita quando chegar a altura, uma mais fácil integração na sociedade."

8 de Agosto de 2008

Este ano não há férias... emprego novo, é só trabalhar trabalhar... mas no meio de toda a agitação que tem sido com esta mudança, entre as idas e vindas ao Porto para recuperar energias junto dos filhotes e do maridão, lá veio durante uma semaninha a visita da família... usufrui menos do que gostaria mas ainda conseguimos uns parcos mas bons momentos... aqui ficam as imagens de uma fantástica tarde no Parque das Nações:
Chegada ao Parque

Leonor com a Tia Beatriz
À saída do Oceanário

Passeando pelo Parque
Com o calor a apertar, a Andreia e a amiga Daniela a refrescarem-se...
Já refrescadinhas...
Brincando nas dunas de relva!

sábado, 30 de agosto de 2008





Conhecem esta fantástica Associação????
Não???
Se conhecem fujam dela a sete pés... principalmente se pretendem arrendar uma casa!!!!
É que as casas que eles têm é só uma ilusão... na realidade eles não precisam nem querem arrendar nada... é só bem e poderoso ser proprietário em Lisboa, agora imaginem a arrogância de não sei quantos proprietários toda junta... ui é mesmo a doer!
Então aqui fica o email que lhes mandei a reclamar e onde explica o que se passou... foi lindo...
"Exmo. Sr. Engenheiro Monteiro de Barros,

Venho por este meio apresentar a minha mais profunda indignação e desilusão na forma como a Associação presidida por V/ Exa. se comportou para me mostrar um imóvel para arrendamento.
Assim passo a descrever a situação ocorrida:
Marquei uma visita a um apartamento sito na Travessa do Chão da Feira, nº 7 para a passada 6ª feira dia 22 de Agosto. Foi-me dito que a visita seria feita a partir das 10H da manhã.
Cheguei ao local às 10H15 e não se encontrava ninguém. Logo de seguida chegou uma jovem para ver o mesmo imóvel e ainda uma senhora já com alguma idade que já lá tinha estado às 10H e também não estava ninguém!
Às 10H30 liguei para a Associação para perguntar o que se passava, uma vez que estávamos 3 pessoas à porta do prédio e ninguém da Associação para mostrar. Fui totalmente desrespeitada e mal tratada por alguma funcionária (que infelizmente não guardei o nome) e que só faltou insultar-me. A minha vontade foi reclamar de imediato, mas tendo em conta o país em que vivemos e a forma como a dita funcionária se dirigiu a mim, achei que se reclamasse poderia ter problemas para conseguir arrendar um apartamento! Nada disse e voltei a ligar para agendar uma nova visita ao local.
Foi marcada para hoje. Disseram-me que a visita era às 14H30 e que tinha de estar na Associação, no Príncipe Real pelas 14H. Referi que gostaria de poder ir ter directamente ao local uma vez que trabalho a 5 minutos do imóvel em questão. Então pediram-me para ser muito pontual, se pudesse para estar um bocadinho mais cedo porque quem mostra os imóveis não espera…
Assim, hoje às 14H25 estava à porta do prédio onde aguardei até às 14H50. E onde ninguém apareceu para mostrar.
Também ninguém me contactou para me dizer que já não podiam ir ou qualquer outra coisa. Também me tinha sido referido pela má educada funcionária que não contactavam as pessoas…

Assim, chego à triste conclusão, que os proprietários da Associação Lisbonense não precisam de arrendar as suas casas. É pena, porque nós, aqueles cidadãos que temos pleno direito a uma habitação condigna, não só precisamos de as arrendar, como deveria ser para nós uma segurança fazê-lo através da Associação! Pelos vistos a arrogância do poder imobiliário é mais forte do que a prestação de um serviço de qualidade e do que a boa educação.

Mais uma vez, não me resta senão lamentar profundamente toda esta situação e ter esperança em encontrar um apartamento que não seja da Associação!

Com os meus melhores cumprimentos,"
LINDO, NÃO ACHAM?

Tempo tempo tempo

A desculpa é sempre a mesma... falta de tempo... falta de tempo para mim. Falta de tempo para descontrair. Falta de tempo para reflectir. Falta de tempo para os amigos. Falta de tempo para a família. Falta de tempo para os filhotes. Falta de tempo para o marido. Falta de tempo para mim.
Nos últimos três meses, o trabalho é a dominante absoluta da minha vida... não consigo fazer mais nada senão trabalhar ou pensar de que forma vou resolver todas as questões relacionadas com o trabalho. Não consigo abstrair-me... não é bom... mas o trabalho em si é muito bom. Ou talvez seja melhor dizer, que se estiver ao meu alcance proporcionar alguma estabilidade, poderá vir a ser muito bom!
Não consigo perceber algumas das pessoas que fazem parte da equipa. Será que têm consciência da dificuldade que é, nos tempos que correm, encontrar um trabalho??? E ainda por cima um trabalho dentro das suas áreas de intervenção???? E ainda por cima um trabalho onde não só se pode desenvolver uma série de capacidades ligadas a cada área de especialização como ainda contribuir em simultâneo para a continuidade dum muitíssimo importante projecto de intervenção social???? E para tal não têm que fazer muito, apenas ter orgulho no seu trabalho e fazê-lo o melhor que lhes é possível...
Infelizmente sou obrigada a aceitar aquele velho e gasto chavão "é mesmo à portuguesa..."! É a instalação e acomodação ao empregozinho... é a total desresponsabilização das tarefas... é o deixa andar... é o amanhã farei... é a total falta de espírito de equipa... Sei que não é um projecto fácil de se trabalhar! É de facto muito exigente das nossas capacidades e está permanentemente a exigir-nos criatividade na resolução de problemas. Mas não será este tipo de situação que deveríamos procurar e que nos deveria entusiasmar?
Bem sei que o momento não é fácil. Pois a complexidade e dureza do dia a dia misturam-se com uma equipa em reestruturação e por isso o "confronto" e adaptação dos novos elementos aos que já lá estavam. E isso não é pêra doce. Mas...
Estou um pouco desapontada, estes últimos dias, porque nesta luta de encontrarmos as pessoas certas para os lugares certos, deu entrada na equipa uma jovem que no espaço de um mês me trouxe não só muita empatia, como uma eficiência extraordinária e uma adaptação e compreensão às necessidades e exigências das suas tarefas... Uma jovem que conseguiu trazer-me alguma tranquilidade e a certeza de que de facto só precisamos de encontrar as pessoas certas para os lugares certos... Mas esta jovem vai-nos deixar... concretizaram-se os meus piores receios, teve uma proposta para a sua área de formação e... aceitou. A mim resta-me desejar-lhe as maiores das sortes e desesperar-me porque não posso competir com a oferta que teve. Não é uma questão monetária, é mesmo uma questão do tipo de trabalho!
E portanto no que diz respeito a este sector, lá voltei à estaca zero... M...
Portanto no meio de toda esta agitação, de todo este envolvimento, claro que os meus desabafos aqui pela blogosfera andam muito escassos...
A semana que vai entrar, acho que vai ser uma semana também muito dura. Decisões e opções a tomar que têm a ver com esta remodelação da equipa... e acreditem que não são fáceis, nem tranquilas... a ver vamos como consigo dar a volta à situação!

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

NOFITSTATE - Tabú




No CCB até 31 de Agosto.
Mesmo mesmo a NÃO PERDER!!!

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Sempre em movimento!

Por questões de logística familiar, este mês de Agosto vou passá-lo em casa da minha irmã.
Este verão vai ser todo a trabalhar... férias... vamos lá ver se se conseguem uns diazitos lá mais para a frente! De qualquer forma aqui na casa da mana sempre tenho net... o que me permite vir aqui desanuviar um bocadinho! Bem preciso, para tirar da cabeça nem que seja por parcas horas as problemáticas do trabalho.
Ah... e para a semana tenho o maridão e os filhotes aqui pelas terras lisboetas :-)
Vai ser tão bom... mesmo que seja só para dar um sorriso aos miúdos a dormir e um beijo ao marido de boa noite. Pelo menos faço-o ao vivo!!!!! Não me devia estar a queixar já que acabei de chegar do Porto depois de 4 belos dias de plena festa familiar.
Mas quando se está bem sabe sempre a pouco...
Bom. Vou mas é dormir que o tempo para descansar escasseia e eu estou mesmo de rastos!

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

valter hugo mãe em grande forma!

3 de Agosto

Como a família é grande e infelizmente não podemos estar juntos tantas vezes quantas gostaríamos, aproveitam-se assim estas oportunidades para se irem matando as saudades. Desta vez, a propósito de ter sobrado muita comida, os meus cunhados e sobrinhos voltaram no Domingo e lá passámos uma agradável tarde no Parque seguido de um bem simpático jantarinho de restos da festa do dia anterior... Aqui ficam algumas imagens:

Todos pela sombrinha!

Há tempo para tudo... até para as birras :-(

Sérgio e Gonçalo

Os homens da minha vida!

Hora de invadir os brinquedos do parque.Brincadeiras no escorrega!



2 de Agosto


Há dois anos foi assim! Após uma gravidez cheia de sobressaltos lá nascia o meu menino, no Hospital Pedro Hispano onde foi direitinho para a incubadora, não por causa das suspeitas da gravidez (que felizmente não passaram de sustos) mas porque nasceu hipoglicémico... Não foi nada de grave a não ser a angústia do momento em que dizem que o nosso bébé está na neonatologia... e depois quando nos deparamos com o nosso rebento na incubadora cheio de fios também não é uma boa memória... apenas o "alívio" de olhar para os outros e pensar o meu está bem... um "alívio" um pouco mórbido!!! Mas o que é certo é que dos meus três filhotes o Sérgio é o único de que não tenho boas memórias da estadia no Hospital! Foi muito duro para mim e para ele... Mas já lá vai! E já lá vão dois fantásticos anos:

Adorei o bolo que desencatámos este ano na fantástica Pastelaria da Vila Beatriz... já há uns tempos que os bolos cá de casa vêm de lá e são sempre fantásticos... este ano também com a deliciosa ironia de o tema ser assim virado para o circo... chapitô????? Não sei se percebem a piada!!! Mas juro que foi coincidência!

O presente da mamã, do papá e das manas! Foi um sucesso... não só com ele mas também com os priminhos que vieram pela tarde à festinha...
Já no parque da Vila Beatriz, depois do grande almoço com toda a família, incluindo os tios de França... Aqui no parque estivémos algumas horas em plenas brincadeiras com a criançada toda, foi óptimo!

As duas pestinas-mor: Leonor e João. Não param quando estão juntos e adoram brincar sendo sempre muito muito criativos. A passadeira virou cavalos de corrida e estiveram ali a "galopar" imenso tempo...

Os quatro priminhos mais jovens em plena actividade... Ups... afinal já não são os mais jovens! Há rebento novo na família:

Aqui está ela - Oceanne, filha do primo Jorge e da Céline. Com 4 mesinhos, os malandros não nos disseram nada para nos fazerem uma surpresa... claro que quando abri a porta de casa ia tendo um colapso... é linda e muito muito simpática, aqui ao colinho da avó Julina! Foi um grande dia bastante extenuante para mim e para o João mas também muito agradável com a malta toda por perto... ou quase toda!!!

domingo, 27 de julho de 2008

Começou a verdadeira queda!!!

Para grande felicidade da Leonor lá lhe caiu o primeiro dentinho... lá vieram os ratinhos à noite trocar o dentinho por uma moedinha...
Dois dias depois tumba... caiu-lhe outro dentinho! a este ritmo não sei não... vai ficar a verdadeira desdentada :-)

domingo, 20 de julho de 2008

Mãe babando sempre...

Aqui ficam as minhas duas meninas no final de mais um ano lectivo cheio de sucessos!!!!
Mesmo que eu não queira não tenho hipótese senão ficar totalmente babada com as duas!
A Leonor, a mudar a etapa da sua vida. Terminou cheia de pompa e circunstância o pré-escolar e lá vai ela para o 1º ano!!!!
A Andreia a terminar mais um ano com 5 a todas as disciplinas e a mais uma vez a ser a melhor aluna do seu ano no liceu... é de babar!
Aqui ficam as duas:
A Leonor com a sua grande cartola de finalista com a educadora Carla que a acompanhou ao longo dos últimos 4 anos.

A Andreia com a sua grande amiga Márcia!

sábado, 19 de julho de 2008

Há quase 2 meses em Lisboa

Pois é... já lá vai mais de um mês desde a última vez que "postei"! Não é por falta de vontade, não é por falta de não ter coisas para dizer (antes pelo contrário) é mesmo por falta de tempo, do tempo, e do tempo mental, ou seja do tempo em que estou suficientemente relaxada para vir aqui e escrever um pouco das atribulações diárias da minha vida!

Hoje consegui um bocadinho... estou em Lisboa. Amanhã o Chapitô vai estar no Terreiro do Paço e quero e preciso de acompanhar essa acção, portanto ir ao Porto para matar as gigantescas saudades e inquietações que me atormentam diariamente estava totalmente fora de questão!!!

O trabalho dentro da sua complexidade e intensidade está a correr bem! Não está fácil... só quem conhece os meandros desta instituição percebe a complexidade que ela envolve... este momento para mim profissionalmente é bastante difícil, há que organizar e estrutar a equipa, uma equipa que tem fortes potencialidades mas que precisa de coesão e de estrutura para que funcione de acordo com as inúmeras solicitações.... há que detectar as fragilidades para as eliminar / transformar em "fortalezas"... há que detectar as pessoas certas para os lugares certos e isto é talvez o mais difícil de tudo! Mas estou com coragem e determinação para que tudo se vá desenvolvendo da melhor forma... claro que o tempo é um aliado precioso assim como a ajuda de algumas pessoas chave dentro da instituição!
Aquilo que mais me atormenta não é o trabalho, não é a intensidade do mesmo, não são as lutas diárias, algumas exasperantes e exaustivas, não é o cansaço que me atormenta... o que me inquieta e atormenta é a distância da minha família...

Ninguém pode sequer imaginar a falta que me faz o carinho do meu marido... nem que seja só quando à noite chego a casa e ele já dorme mas quando me deito passa a perna por cima de mim... ninguém pode sequer imaginar a falta que me fazem as suas palavras de conforto, o som da sua voz... ninguém pode sequer imaginar a recarga de energia que ele me dá só por estar presente... ninguém pode sequer imaginar o quanto ele me equilibra e me fortalece...
Ninguém pode sequer imaginar a falta que me fazem os ruídos dos meus filhos... as noites mal dormidas porque a Leonor sempre nos acorda, porque o Sérgio às vezes chora... ninguém pode sequer imaginar a falta que me faz ouvir o choro do meu filho e as gargalhadas da Leonor, e a arrogância adolescente da Andreia... Ninguém pode sequer imaginar a falta que faz ter o Sérgio agarrado às minhas pernas, a Leonor sem dar descanso, a Andreia enfiada nas sms...
Ninguém pode sequer imaginar a falta que me fazem os nossos passeios ao parque... ninguém pode sequer imaginar como me faz falta sentar-me na sala e não ter sossego... ninguém pode sequer imaginar a falta que me faz ir à noite para a cama com o meu marido e simplesmente dormir porque estamos exaustos... mas estamos lá, um com o outro e os dois com os filhos... Confesso que nunca imaginei que pudesse ser tão duro... a minha família é o meu pilar e os nossos problemas quotidianos são a minha energia e são aquilo que dá razão ao esforço do trabalho... Quero muito que este trabalho no Chapitô dê certo para que este ano voe e os meus se juntem a mim... Quase que queria dormir e acordar daqui a um ano já com tudo resolvido e pronto para que estejamos todos juntos! Este lado está a ser mesmo muito difícil... muito duro...

Mas apesar deste lado menos bom desta situação, não me posso esquecer que este é um momento provisório. Ou corre tudo muito bem e mudamo-nos para Lisboa (apesar de eu ainda não estar totalmente convencida de que quero viver em Lisboa) ou corre tudo mal e volto para o Porto!!! Portanto há que ter alguma confiança e trabalhar para que tudo se resolva rapidamente!

O trabalho no Chapitô tem sido e é um trabalho extremamente aliciante e tem sido um ponto de reencontros fantásticos e alguns até muito comoventes...
Reencontros com pessoas do meu passado que me marcaram muito como a Isabel Salema, que não via há cerca de 20 anos... sei lá tem sido não só directamente com as pessoas como com outras que se cruzaram com pessoas que me são queridas. 

Tirando a questão familiar... sim está a ser gratificante o trabalho no Chapitô. Extenuante também e nesse aspecto até é bom que a família não esteja cá nesta primeira fase, pois se estivessem eu não estaria tão disponível para o trabalho e de facto nesta primeira abordagem esta minha disponibilidade é essencial!
Vou andando, trilhando o caminho, abrindo novos e esperando que tudo corra bem e que esta mudança tão brusca e dura se venha a justificar pela gratificação do caminho trilhado!

domingo, 15 de junho de 2008

Visita

Hoje estou feliz! Estou cá por cima com o meu Jonas e os meus meninos! As saudades eram imensas... nunca pensei que me custasse tanto estar assim afastada deles... mas custa e muito! A minha família é o meu equilíbrio, a minha força, e apesar de serem separações relativamente curtas, custam muito!!!!
É sempre assim na minha vida... tenho sempre de fazer opções impossíveis...
Ora porque raio não poderia ter surgido uma proposta de trabalho assim como a do Chapitô aqui pelas terras do norte???? Tudo seria mais simples, mais tranquilo, mais equilibrado... mas não!
Portanto lá vou eu trabalhar para Lisboa e os meus ficam por aqui... também seria um bocado irresponsável levar a malta toda e depois as coisas não correrem bem...
Mas estão a correr bem! a primeira semana foi muito dura, porque é uma casa com muita gente e com muitos sectores a trabalhar em paralelo... esta semana que passou já me senti melhor, mais enquadrada e a começar a tomar o trabalho nas mãos!!!
E há mesmo muito trabalho para fazer ali pela Costa do Castelo... Acho que vai correr bem e vou fazer os possíveis para que isso aconteça!
Só ainda não estou convencida a voltar a morar em Lisboa... :-(
Sei que em parte é por eles ainda estarem cá por cima, mas... vamos ver, vamos dar tempo ao tempo e ver como tudo corre...
E claro que as vindas aqui ao espacinho têm sido complicadas pois em Lisboa só tenho net no trabalho... tenho de mudar isso para poder actualizar aqui este meu espaço com mais regularidade...
Enfim... a vida tem momentos mesmo muito curiosos!

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Por Favor Expliquem-me...

Mas expliquem-me muito devagarinho e assim como se eu fosse mesmo muito muito burra... é que deveras não entendo...
Claro que estou a falar do aumento, pelos vistos incontrolável, dos combustíveis... claro que não percebo porque não acredito naqueles engravatadinhos (e atenção que não tenho nada contra os engravatadinhos... até gosto de ver um homem bem engravatado!) da galp que vê-se mesmo que nos estão a enganar à grande e à francesa...
Expliquem-me lá porque é que eles compram mais barato e vendem mais caro??? Sim porque segundo as minhas parcas investigações sobre o assunto, para tentar perceber, o preço do petróleo subiu, mas subiu em doláres e os doláres desceram em relação aos nossos euritos, ou seja os euritos estão mais fortes e mais caros que os doláres portanto na prática as companhias compram os combustiveís mais baratos, mas vendem-nos mais caros...
E não há quem trave esta escalada dos preços???? Onde estão os nossos governantes, aqueles a quem nós pagamos chorudos ordenados para supostamente nos protegerem... Onde estão? E porque não tomaram já medidas efectivas para travar esta situação? E como é possível dizerem que esta situação apenas afecta os condutores!!! E tudo o resto que sobe por causa dos combustiveís, até o pão...
Quem olha por nós??? E ao menos que nos expliquem a situação real, sem nos enganarem!
Já há tempos que não abasteço nem na Galp, nem na BP, nem na Repsol porque aqui ao pé de mim tenho a Total que é mais barata e às vezes a do Continente... Eu não abasteço mais nas grandes companhias, acho inaceitável o que se está a passar. A sensação de nos estarem a atirar para uma crise que poderá para nós meros cidadãos anónimos ter consequências desastrosas... enfim, não é da minha natureza contestar muito, até costumo mais ou menos aceitar as situações e tentar compreendê-las... Esta é uma situação que não consigo mesmo engolir, compreender... por isso se faz favor alguém que me explique muito bem explicadinho...

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Actualizando III - 23 de Maio 2008 - Leonor 6 anos!

Após 4 intensos dias em Lisboa, lá vim na 6ª feira de manhãzinha ter com a minha piolhita que fez 6 anos, nesse dia! 6 ANOS! ai ai ai... o tempo voa, corre...
Cheguei de Lisboa às 12H30, tinha o meu amor à minha espera com o nosso filhote que está o máximo e com a D. Ilda que veio para os anos da neta! Tínhamos imensas coisas para fazer e preparar para este dia especial. Os 6 aninhos da Leonor.
Primeiro, buscar o bolo do Ruca - a pedido da Leonor - para a festinha na escola com os amiguinhos. Este ano só houve festa na escola e em casa foi mesmo só connosco e com a avó Ilda... a vida não está fácil e mesmo sem os miúdos perceberem, ou perceberem o menos possível, é preciso fazer alguns cortes... mas na escola foi muito divertido, com os amigos, a Laurinda (auxiliar da sala dela) e a Virgínia (a educadora) eu, o pai e o mano, a Andreia estava na escola. Depois ela ainda ficou a brincar com os amigos e nós fomos buscar a prenda dela que quase não chegou - a bicicleta para substituir a dela que estava já muito pequenina. Esta é uma bicicleta já a parecer as dos grandes e ela adaptou-se bem, quer dizer ainda está a adaptar-se!
Depois de tratada a prenda, lá fomos para casa. Ainda conseguimos dar um ar de festa à sala, com balões e alguns "cartazes" de festa e então fomos buscá-la à escolinha e fazer as surpresas todas... que ela já pressentia mas lá vibrou com tudo... os enfeites, os balões, as prendas, o bolo, a mini festinha que preparámos com muito carinho. PARABÉNS LEONOR!

A aniversariante!

O bolo feito pela avó Ilda!


A Bike!


Com a avó Ilda!

Com a mana Andreia!

Com o mano Sérgio!

Com a mamã Margarida!


Nós Todos!

Actualizando II - Eu, Lisboa e o Chapitô!

No meio de toda a azáfama que tem sido os últimos tempos, entre faculdade, meninos e procura de emprego, surgiu assim de um momento para o outro a hipótese de ir coordenar/dirigir a produção do Chapitô... Lá fui de debandada para Lisboa para conversar, ao vivo com a Teresa Ricou, mais conhecida por Tété, após uma longa conversa telefónica!
Assim, estive a semana passada em Lisboa em observação e a tomar os primeiros contactos com as pessoas com quem vou trabalhar.
Começarei no dia 2 de Junho entre a ansiedade de fazer parte de um projecto como o do Chapitô e a ansiedade de deixar a minha família aqui em cima... decisão muito difícil de tomar e que só consegui tomar devido ao meu fantástico companheiro que consegue ter uma visão da vida muito positiva e tem sempre uma palavra de ânimo e de coragem para me dar.

De facto isto é algo que poderá ser muito bom para mim e por consequência para a família... e tendo em conta que não há nenhuma proposta mais interessante vamos arriscar e fazer tudo para que dê certo!

Vai ser difícil no período em que estamos afastados, mas lá tentaremos compensar com os momentos em que estaremos juntos...

Será que vou voltar a viver em Lisboa???