quarta-feira, 28 de maio de 2008

Por Favor Expliquem-me...

Mas expliquem-me muito devagarinho e assim como se eu fosse mesmo muito muito burra... é que deveras não entendo...
Claro que estou a falar do aumento, pelos vistos incontrolável, dos combustíveis... claro que não percebo porque não acredito naqueles engravatadinhos (e atenção que não tenho nada contra os engravatadinhos... até gosto de ver um homem bem engravatado!) da galp que vê-se mesmo que nos estão a enganar à grande e à francesa...
Expliquem-me lá porque é que eles compram mais barato e vendem mais caro??? Sim porque segundo as minhas parcas investigações sobre o assunto, para tentar perceber, o preço do petróleo subiu, mas subiu em doláres e os doláres desceram em relação aos nossos euritos, ou seja os euritos estão mais fortes e mais caros que os doláres portanto na prática as companhias compram os combustiveís mais baratos, mas vendem-nos mais caros...
E não há quem trave esta escalada dos preços???? Onde estão os nossos governantes, aqueles a quem nós pagamos chorudos ordenados para supostamente nos protegerem... Onde estão? E porque não tomaram já medidas efectivas para travar esta situação? E como é possível dizerem que esta situação apenas afecta os condutores!!! E tudo o resto que sobe por causa dos combustiveís, até o pão...
Quem olha por nós??? E ao menos que nos expliquem a situação real, sem nos enganarem!
Já há tempos que não abasteço nem na Galp, nem na BP, nem na Repsol porque aqui ao pé de mim tenho a Total que é mais barata e às vezes a do Continente... Eu não abasteço mais nas grandes companhias, acho inaceitável o que se está a passar. A sensação de nos estarem a atirar para uma crise que poderá para nós meros cidadãos anónimos ter consequências desastrosas... enfim, não é da minha natureza contestar muito, até costumo mais ou menos aceitar as situações e tentar compreendê-las... Esta é uma situação que não consigo mesmo engolir, compreender... por isso se faz favor alguém que me explique muito bem explicadinho...

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Actualizando III - 23 de Maio 2008 - Leonor 6 anos!

Após 4 intensos dias em Lisboa, lá vim na 6ª feira de manhãzinha ter com a minha piolhita que fez 6 anos, nesse dia! 6 ANOS! ai ai ai... o tempo voa, corre...
Cheguei de Lisboa às 12H30, tinha o meu amor à minha espera com o nosso filhote que está o máximo e com a D. Ilda que veio para os anos da neta! Tínhamos imensas coisas para fazer e preparar para este dia especial. Os 6 aninhos da Leonor.
Primeiro, buscar o bolo do Ruca - a pedido da Leonor - para a festinha na escola com os amiguinhos. Este ano só houve festa na escola e em casa foi mesmo só connosco e com a avó Ilda... a vida não está fácil e mesmo sem os miúdos perceberem, ou perceberem o menos possível, é preciso fazer alguns cortes... mas na escola foi muito divertido, com os amigos, a Laurinda (auxiliar da sala dela) e a Virgínia (a educadora) eu, o pai e o mano, a Andreia estava na escola. Depois ela ainda ficou a brincar com os amigos e nós fomos buscar a prenda dela que quase não chegou - a bicicleta para substituir a dela que estava já muito pequenina. Esta é uma bicicleta já a parecer as dos grandes e ela adaptou-se bem, quer dizer ainda está a adaptar-se!
Depois de tratada a prenda, lá fomos para casa. Ainda conseguimos dar um ar de festa à sala, com balões e alguns "cartazes" de festa e então fomos buscá-la à escolinha e fazer as surpresas todas... que ela já pressentia mas lá vibrou com tudo... os enfeites, os balões, as prendas, o bolo, a mini festinha que preparámos com muito carinho. PARABÉNS LEONOR!

A aniversariante!

O bolo feito pela avó Ilda!


A Bike!


Com a avó Ilda!

Com a mana Andreia!

Com o mano Sérgio!

Com a mamã Margarida!


Nós Todos!

Actualizando II - Eu, Lisboa e o Chapitô!

No meio de toda a azáfama que tem sido os últimos tempos, entre faculdade, meninos e procura de emprego, surgiu assim de um momento para o outro a hipótese de ir coordenar/dirigir a produção do Chapitô... Lá fui de debandada para Lisboa para conversar, ao vivo com a Teresa Ricou, mais conhecida por Tété, após uma longa conversa telefónica!
Assim, estive a semana passada em Lisboa em observação e a tomar os primeiros contactos com as pessoas com quem vou trabalhar.
Começarei no dia 2 de Junho entre a ansiedade de fazer parte de um projecto como o do Chapitô e a ansiedade de deixar a minha família aqui em cima... decisão muito difícil de tomar e que só consegui tomar devido ao meu fantástico companheiro que consegue ter uma visão da vida muito positiva e tem sempre uma palavra de ânimo e de coragem para me dar.

De facto isto é algo que poderá ser muito bom para mim e por consequência para a família... e tendo em conta que não há nenhuma proposta mais interessante vamos arriscar e fazer tudo para que dê certo!

Vai ser difícil no período em que estamos afastados, mas lá tentaremos compensar com os momentos em que estaremos juntos...

Será que vou voltar a viver em Lisboa???

domingo, 25 de maio de 2008

Actualizando - "O Poeta Nu", 15 de Maio 2008

Estou um bocado atrasada em relação aos acontecimentos vividos e que me apetecia falar deles aqui no meu humilde blog... mas tantas coisas aconteceram neste curto espaço de tempo, que tenho andado um pouco atordoada... vou, de qualquer forma, tentar actualizar os últimos acontecimentos!
O primeiro destes eventos foi a última Quinta de Leitura, "O Poeta Nu" - Jorge de Sousa Braga. Para que se orientem aqui fica um dos seus mais emblemáticos poemas:

Portugal

Portugal
Eu tenho vinte e dois anos e tu às vezes fazes-me sentir como se tivesse
oitocentos
Que culpa tive eu que D. Sebastião fosse combater os infiéis ao norte de
África
só porque não podia combater a doença que lhe atacava os órgãos genitais
e nunca mais voltasse
Quase chego a pensar que é tudo uma mentira
que o Infante D. Henrique foi uma invenção do Walt Disney
e o Nuno Álvares Pereira uma reles imitação do Príncipe Valente
Portugal
Não imaginas o tesão que sinto quando ouço o hino nacional
(que os meus egrégios avós me perdoem)
Ontem estive a jogar póker com o velho do Restelo
Anda na consulta externa do Júlio de Matos
Deram-lhe uns electro-choques e está a recuperar
à
parte o facto de agora me tentar convencer que nos espera um futuro de
rosas
Portugal
Um dia fechei-me no Mosteiro dos Jerónimos a ver se contraía a febre do
Império
mas a única coisa que consegui apanhar foi um resfriado
Virei a Torre do Tombo do avesso sem lograr uma pérola que fosse
das rosas que Gil Eanes trouxe do Bojador
Portugal
Vou contar-te uma coisa que nunca contei a ninguém
Sabes
Estou loucamente apaixonado por ti
Pergunto a mim mesmo
Como me pude apaixonar por um velho decrépito e idiota como tu
mas que tem o coração doce ainda mais doce que os pastéis de Tentugal
e o corpo cheio de pontos negros para poder espremer à minha vontade
Portugal estás a ouvir-me?
Eu nasci em mil novecentos e cinquenta e sete Salazar estava no poder nada
de ressentimentos
um dia bebi vinagre nada de ressentimentos
Portugal
Sabes de que cor são os meus olhos?
São castanhos como os da minha mãe
Portugal
gostava de te beijar muito apaixonadamente
na boca
Jorge Sousa Braga

Com uma plateia marcada pela presença do senhor presidente do FCP, Pinto da Costa (afinal ele até vai à poesia... quererá isto dizer alguma coisa???), o espectáculo começou com a performance "Performance Liquida" de e com a inconfundível Margarida Mestre com mais uma das suas minimalistas e fantásticas actuações. Desta vez a deixar-nos a todos cheios de sede e com o intervalo a surgir no momento mais apropriado!
Seguiu-se Élèonore Didier, com uma performance ligada à sua linguagem mãe - a dança - e mais uma vez polémica e a não deixar ninguém indiferente. "Laisservenir", houve quem adorou e houve quem odiou! Eu gostei. Gostei da frieza e da crueza da linguagem. Gostei da coragem da performer, ali num estado de intimidade com o público muito difícil! Eu nunca tinha visto esta peça da Élèonore e soube depois que era suposto ela estar nua por baixo do curto vestido que levava... na minha opinião teria sido uma nudez gratuita, por isso acho que fez bem em não se despir. A peça não precisa dela nua, seria demasiado evidente, seria vulgarizar todo o trabalho!
Após "Laisservenir" tivemos uma conversa bem disposta entre o poeta, Jorge Sousa Braga e Nuno Artur Silva. Na minha opinião Nuno Artur Silva protagonizou os momentos mais infelizes da noite ao opinar criticamente as performances, em especial a da Élèonore. A meu ver (já sei que sou suspeita) de uma forma muito pouco ética tendo em conta que ele participava no mesmo espectáculo! Para mim, não foi humor, foi falta de gosto e em especial falta de respeito para com o trabalho de um artista (atenção que não está em questão se gosta ou não...).
Após a conversa vieram as leituras dos fantásticos poemas do autor convidado em duas séries. Primeiro Sandra Salomé e Filipa Leal e depois Pedro Lamares e Sofia Grillo (uma estreia nas Quintas). O último par teve uma intervenção muito boa!
Antes do último intervalo ainda assistimos ao vídeopoema do poema "Portugal" por António Durães (voz), Pedro Guimarães (imagem) e Paulo Sousa (som), um dos momentos altos da noite. Por fim e para terminar lá se apreciou a grave voz de Mazgani... Como sempre foi um belíssimo espectáculo a deixar desde já acesa a vontade de ver o próximo!

As Minhas Quintas Favoritas São Estas - CGD!


sábado, 10 de maio de 2008

O Último Brilharete da Andreia!

A minha filhota mais velha lá fez outro brilharete numa aula de português!
Foi uma aula de substituição de português. O professor lançou-lhes o desafio de escreverem um texto descritivo e deu-lhes vários temas gerais para eles escolherem.
A Andreia escolheu "Um animal Fantástico" e aqui fica o texto dela:
"Naquela noite, tudo me pareceu um sonho. Se não tivesse ficado com uma prova da sua existência, diria que tinha imaginado.
Quando senti o seu bico macio tocar-me, na cara, acordei sobressaltada. Não queria acreditar no que os meus olhos viam!
Era ela! A ave da vida! Ali sentada aos pés da minha cama!
Posso dizer que nunca tinha visto ave tão bela. era de um vermelho-alaranjado, que parecia brilhar, os seus olhos verdes, iguais a pedras preciosas, eram tão meigos... tão carinhosos... E aquele bico dourado, que tinha toque de cetim.
Fiquei a olha-la. Pensei que não era real. Mas depois, ela começou a aproximar-se. Aproximou-se tanto, que podia tocar-lhe. Ela baixou a cabeça.
Arrisquei. Fiz-lhe uma festa na nuca.
No preciso momento em que lhe toquei senti uma espécie de calor. Mas não um calor que queimasse! Era um calor difícil de descrever... parecia quase fraternal.
Não cheguei a perceber se gostou ou não, pois ela abriu as suas magníficas asas e soltou um grito.
Não! Aquilo não era um grito. Era uma melodia maravilhosa, de fazer sonhar qualquer um.
Ela olhou para mim e de seguida para a janela. Percebi logo o que me tentava dizer. Subi para o seu dorso e lá fomos nós.
Voámos por cima da cidade e era como se estivéssemos em plena sintonia!
era maravilhoso! Aquela ave magnífica era a minha melhor amiga.
Depois acordei.
Não percebi se tinha sonhado ou não.
De repente, reparei em algo.
Uma pena brilhava ao meu lado.
A mesma pena vermelha-alaranjada, com um toque sedoso e aquela sensação de calor, tão agradável...
Após ver a pena, tudo fez sentido.
Tinha sido visitada pela minha ave protectora, a Fénix."
-Andreia, 14 anos-

terça-feira, 6 de maio de 2008

3000 Visitas!


UAU... só reparei agora... ultrapassei a fasquia das três mil visitas!
EXTRAORDINÁRIO

O Meu Dia da Mãe

Logo pela manhã, fui acordada pelo ruído dos miúdos a entrarem-me pelo quarto adentro gritando FELIZ DIA MAMÃ! O pequenote ao colo do pai, o maestro de toda a surpresa...

Ainda com um olho aberto e outro fechado lá recebi os doces beijos das crianças e do Jonas e os presentes que os malandros compraram nas minhas costas... Como mãe responsável todos os anos digo que os presentes são os desenhos deles ou feitos por eles e todos os anos lá me arranjam os miminhos... Este ano ganhei esta caneca linda para o meu pequeno almoço e uma carteirinha para levar as moedinhas quando vou tomar café!

Fui literalmente obrigada a sair da cama, pois a surpresa ainda não tinha acabado...
Levaram-me até à sala onde me deparei com uma mesa posta com o mais fabuloso pequeno almoço que se possa imaginar... morangos e abacaxi, croissants e regueifa acabadinhos de sair do forno, cafézinho acabadinho de fazer , bem ao meu gosto, fiambre, queijo, manteiga... sei lá digno de uma rainha... e ainda... no meu lugar um belo bouqué de margaridas rosa, juntamente com um poema transcrito com muito cuidado e muito artisticamente pela a Andreia!


Devia ter fotografado mas foi tudo tão emocionante que nem deu para raciocinar... mas o João lá foi fazendo o nosso filmezinho caseiro e registou a mesa antes de a atacarmos!
A rematar a decoração da mesa estava o letreiro "FELIZ DIA MÃE" mais uma vez feito com a perícia da Andreia... a artista cá da casa, já se viu!


E assim foi o meu dia da mãe... rodeada de miminhos! O melhor dia da mãe de todos os dias!

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Mais uma etapa ultrapassada!

UFA...
JÁ ESTÁ!
Relatório Intercalar do trabalho final do curso pronto e entregue a tempo e horas...
Apresentação oral do mesmo feita e diga-se... com muita vaidade... que correu mesmo muito bem!
Portanto mais uma etapa ultrapassada.
Já avisto a meta!!!